Este final de semana temos o Dia dos Solteiros e no dia seguinte, São Valentim. A segunda data “importada” que é muito falada e aproveitada pelos casais brasileiros. Dentro dessa pauta, meu convite hoje é para que possamos refletir sobre a importância da solitude. Precisamos aprender a aproveitar e apreciar nossa própria presença para viver melhor e estar disponível para nos relacionar com outras pessoas. Continue a leitura e confira o Blog que preparei para vocês! 

Sim, como humanos, somos seres sociais. Isso significa que viver em sociedade é de extrema importância para a saúde e o bem-estar de todas as pessoas. Essa convivência trouxe e ainda traz muitas vantagens para nós, desde os avanços da civilização, e os da tecnologia.

 Estar próximo e compartilhar momentos de encontro com quem amamos é um ritual de prazer, satisfação e felicidade. 

Por isso, algumas pessoas creem veementemente que a felicidade só existe em pares, trios, grupos. O que não é verdade. 

Para alguns, estar sozinho até mesmo por curtos períodos de tempo acabou ganhando uma reputação negativa, como se a pessoa fosse um fracasso social por passar um sábado a noite em casa ao invés de fazer alguma coisa com os amigos. 

A verdade é que passar um tempo sozinho também é fundamental para a saúde mental. A solitude é positiva e muito diferente da solidão. O conceito surge para quebrar a ideia de que devemos estar sempre em companhia.

E sozinho deve ser um momento aproveitado, do qual é possível tirar lições importantes, em qualquer fase da vida.

Mas afinal, o que é solitude? 

A solitude é quando você não tem medo do silêncio. É gostar de estar só consigo mesmo. Quando conseguimos perceber a paz contida no silêncio, temos pensamentos e sentimentos mais organizados, melhor compreendidos e, a partir disso, enxergamos de forma enriquecedora essa capacidade de ficar sozinho. Adquirimos maturidade emocional para isso. 

Paul Tillich, filósofo, nos diz que é no silêncio que a mente se tranquiliza e uma pessoa consegue entrar em contato com sua essência.

Estar sozinho permite experiências inigualáveis. É possível se ouvir mais, assimilar com mais clareza a realidade, novas ideias, desenvolver autoconfiança e nos permite ter melhor consciência de nós mesmos.

 Aproveite seu tempo consigo mesmo para fazer coisas que gosta, sem interferência. Seja cozinhar, dedicar-se a um jardim, ler ou qualquer outro hobbie. 

O namoro mais importante é o seu consigo mesmo 

Chegamos a datas como as do próximo final de semana e, para muitas pessoas, é um período de pressão, estresse e tristeza. Essas pessoas acreditam que é melhor estar em qualquer relacionamento do que sozinho. 

Alguns são assim, não conseguem passar um tempo sem uma companhia amorosa, vivem uma dependência de afeto. Outros lançam-se na primeira oportunidade de relacionamento devido à pressão cultural, da família ou amigos que cobram relacionamentos constantemente. 

Normalmente é dessa pressão, dessa obrigação imposta que surgem os relacionamentos tóxicos que causam dor, sofrimento e violência. 

Então, esta semana a reflexão que eu deixo sobre o assunto é: 

Ter um relacionamento amoroso com outra pessoa não é uma obrigação. Acontece de forma natural, embasada no amor, na tolerância e no respeito. 

E para conseguir desenvolver relacionamentos saudáveis é muito importante que você se ame primeiro. Ame sua presença, saiba ficar sozinho com você, aprenda a se ouvir, se entender e se aproveitar. 

Os momentos de solitude são fundamentais para a saúde e para uma vida melhor! 

Um forte abraço, 

Espaço Entre Olhares (031) 98814-7288

Leia também: A importância de se conectar consigo mesmo

WhatsApp chat