O período inicial do desenvolvimento infantil é fortemente marcado pela presença materna. Mas o pai também pode participar da vida do filho, dirigindo-se a ele e desfrutando de sua existência ainda no útero materno. 

 Após o nascimento e nas diversas etapas da vida do filho, um outro tipo de laço afetivo se estabelece, imprescindível para  a formação de uma personalidade segura e a construção de um relacionamento saudável.

No artigo de hoje, falo mais sobre o quão importante é a construção de vínculos afetivos entre pais e filhos.


A figura do pai na vida do filho 

O pai é importantíssimo na vida de um filho.  Ele representa a responsabilidade; e também o contato confiante com a realidade. Atualmente muitos pais têm se mostrado ativos e participativos na criação de seus filhos. Têm sido corajosos diante dos desafios que envolvem a paternidade. 


A paternidade e um novo olhar para vida

Uma das formas de se exercer a paternidade e de se constituir  pai que me emociona, refere-se a paciência e à complexidade, como no relato do Flávio Arthuso. Após longos anos de tentativas e de espera, ele e a esposa ganharam trigêmeos. Os filhos têm proporcionado a eles uma grande intensidade de sentimentos e uma nova forma de ver a vida. 

Flávio costuma dizer: “Como pai de trigêmeos sinto que o que mais mudou em minha vida, foi a minha forma de me cuidar. Eu deixei de ser impulsivo nas minhas decisões do dia a dia, e tenho me preocupado mais com a minha vida, me protegendo e evitando situações de risco, já  que são trigêmeos e hoje eles tem 5 anos e eu 53 anos”.

Conciliar de maneira assertiva todas as tarefas que envolvem a paternidade não é tarefa fácil. Entretanto, Flávio comenta: “Emocionalmente é muito gratificante e cada dia é uma experiência diferente e as demandas são muitas e mudam rapidamente”. 

A construção de vínculos afetivos entre pais e filhos durante o período da infância proporciona conforto e proteção. Mas também, oferece outros diversos benefícios para o desenvolvimento psicológico e cognitivo da criança, que poderão ser sentidos ao longo da vida.

 
Um artigo da professora de Psicologia Melanie Mallers, PhD, da Universidade Estadual da Califórnia, divulgado em 2010 pela Associação Americana de Psicologia diz que :  “ As memórias de uma relação afetiva com o pai durante a infância estão diretamente relacionadas com a capacidade para enfrentar o estresse do dia a dia.”

Como estreitar os laços nas diferentes fases da vida do filho 

É sempre importante lembrar que um homem não nasce pai. Ele se torna pai! E o processo de construção da paternidade de modo responsável e afetivo, se desenvolve dia após dia.  

Com a chegada de um filho vem também um misto de sensações como alegria, gratidão, realização, incertezas, preocupação, medo e tantos outros sentimentos.  Quando estes pais se permitem exercer a paternidade responsável, desenvolvem uma humanidade linda.

Enquanto bebê e na primeira  infância: 

Os pais devem dividir as funções de maneira igualitária com a mãe:

  • Seja no momento de dar o banho 
  • Preparando as refeições
  • Brincando juntos
  • Colocando para dormir 
  • Ou dando orientações quanto ao que deve ou não ser feito

Esses momentos de interação do cotidiano entre pais e filhos, permitem promover maior cumplicidade entre os dois. 

Ao longo da adolescência e na fase adulta:

A figura do pai serve como modelo. Os filhos se identificam com o pai na sua forma de ser e de se posicionar diante de situações da vida. Nesse sentido, é importante continuar mantendo uma relação de afeto e de cumplicidade com o filho, ao longo de todas as fases do desenvolvimento:

  • Procurando estar presente nos diferentes momentos 
  • Estando disposto a ouvir e dar bons conselhos
  • Falando sobre os seus sentimentos 

Assim, o processo para a construção de uma relação de afeto entre pais e filhos, foi, é, e será ao longo de gerações um imenso desafio! No entanto, a força da afetividade e o desejo de fazer o seu melhor para a descendência, possibilita que os homens desenvolvam  a paternidade com riquezas humanas inigualáveis!

“Olá, muito prazer eu sou Jussara Estela Arthuso, Psicóloga e sou a responsável pelo Espaço Entre Olhares. Nosso objetivo é acolher e transformar a vida de cada uma das pessoas que buscam os serviços citados na Página Para Você aqui do site.Os artigos publicados aqui, ajudarão você na melhoria da qualidade dos relacionamentos e espero que as minhas palavras possam te trazer o conforto e as soluções que você busca.Se você gostou ou mesmo se ficou com alguma dúvida, aproveite para deixar o seu comentário no Fale Comigo, aqui na página”. 

WhatsApp chat