A afetividade é expressada através de trocas de afeto nas relações humanas e também pode ser exercida na relação entre as pessoas e os pets.

A presença de um bichinho de estimação nas nossas vidas pode ser um grande exercício de afetividade e responsabilidade. Além disso, eles exercem grande influência no nosso bem estar e até na autoestima. 

Sabemos o quanto os cães são usados para socialização de crianças, e os cavalos para a reabilitação neurológica, além de socialização.

Hoje, te convido a refletir sobre o papel dos animais domésticos no nosso dia a dia e nossa saúde mental. Confira! 

Há pessoas que não se veem com pets, tudo bem. Mas quem gosta sabe que conviver com animais dóceis traz alegria e bem-estar. E o convívio é geralmente agradável e reconfortante. Existem atualmente diversos trabalhos feitos com animais, também como forma de terapia, em que o objetivo é que os animais tragam conforto e carinho para pessoas enfermas.

O bem estar da relação com os bichinhos é transmitido pelo comportamento deles em serem carinhosos, cuidadosos e protetores. Nosso cérebro é capaz de reconhecer um gesto sincero e, por isso, os benefícios dessa convivência são sempre muito positivos.

Segundo dados de um estudo elaborado pela Human Animal Bond Research Institute (HABRI) com 2.000 pessoas com pets, 74% relataram uma melhora na saúde mental em decorrência da relação com seu animal de estimação, e 75% relatam melhora da saúde mental  de um amigo ou familiar devido a presença de um pet.

Entendo a melhora enquanto redução de crises de ansiedade e ampliação da capacidade para usufruir das experiências da vida tais como alegria e coragem para  transformar situações.

Alguns pontos benéficos: 

Afugenta a solidão

O pet pode ser uma excelente companhia que gera sensação de segurança e proteção. 

Cientificamente, a relação de afeto, cuidado e sensibilidade aumenta os níveis de oxitocina que estimula a produção de serotonina e dopamina. Isso tudo quer dizer que o cérebro produz substâncias que têm ligação com a diminuição do sentimento de solidão e da depressão. 

Fortalece o amor próprio

O animal estreita laços de carinho incondicional e essa relação facilita a percepção do valor pessoal, a capacidade para expressar as emoções e potenciais humanos elevando portanto a autoestima.

Gera mais responsabilidade 

Manter um animal de estimação criará senso de responsabilidade já que será necessário ter uma rotina diária de alimentação, cuidados, higiene, levar para fazer seus exercícios, veterinário etc. E isso pode ser muito saudável para o cuidador do animal.

Pessoas que possuem problemas com tarefas e disciplinas, são altamente beneficiadas, pois esses encargos fazem pensar sobre se sentir útil e necessário. 

É bom saber:

Nos últimos tempos, com a presença da pandemia e a ausência física das pessoas em nossas vidas, muitos criaram laços ainda maiores com os animais de estimação e isso ajudou e muito na manutenção da saúde mental. 

Mas é bom lembrar que o pet é uma vida que precisa de cuidado e dedicação. Então, ter um animalzinho em casa é uma decisão muito importante que deve ser tomada com consciência e responsabilidade. 

Se existem outras pessoas na sua casa, converse com elas antes de tomar a decisão. Lembre-se que a presença do animal afeta a vida de todos. 

Lembre-se: 

Ter a presença de um pet é um exercício de afetividade, uma experiência de cuidar, de se sentir útil. É transformar o cuidado em proteção, receber sentimentos de alegria e amor de forma pura. 

Mas não é uma regra e nem uma obrigação ter um animal de estimação. Não se trata de um “remédio” para ser tomado em toda situação difícil. Cada pessoa, na sua individualidade e autoconhecimento, faz sua escolha. A relação com os bichos e a influência que eles exercem sobre nossas vidas acontece naturalmente.

Além do mais, quadros depressivos e transtornos de saúde mental precisam do apoio e acompanhamento de um profissional. 

Um forte abraço, 

Espaço Entre Olhares (031) 98814-7288Leia também: A força transformadora da amizade

WhatsApp chat