Quanto mais nos envolvemos com alguém, mais o conhecemos. É comum que o encantamento nos floreie o olhar e assim não nos damos conta de algumas características do outro que em certo momento virão à tona. 

Hoje, meu convite é para que possamos conversar e refletir sobre os relacionamentos tóxicos e os abusos psicológicos que eles carregam. 

As marcas dos relacionamentos tóxicos e abusivos são sempre expostas na mídia por um escândalo ou outro de pessoas influentes. Mas, se fizermos uma pausa agora e pensarmos bem, provavelmente conhecemos alguém que passa por algo semelhante, se o “alguém” não for você mesmo. 

Quando estamos em um relacionamento, estamos tão envolvidos emocionalmente que ignoramos os sinais que são dados quase sempre desde o início. Então, depois de um tempo, quando o encantamento começa a diminuir, os “óculos cor-de-rosa” ficam cada vez mais transparentes e nos damos conta que aquilo que pensamos ser o ideal é uma relação cheia de brigas, discussões, mágoas e ao nosso lado está alguém que se importa pouco ou nada com nossos sentimentos. A tristeza e medo tornam-se companheiras constantes.

O relacionamento tóxico e o abuso psicológico estão diretamente associados ao ato de diminuir a liberdade e a vontade do outro. Ou o oposto: desconsiderar a companhia e interesses do par amoroso, numa indiferença frequente. Pode aparecer também o sentimento de posse em que um tenta controlar o outro só pelo simples desejo de “mandar”, de tê-lo somente para si.

Esse comportamento surge aos poucos, vai ganhando força, passando dos limites e isso causa dor e sofrimento. 

E como perceber que estamos em um relacionamento tóxico? Confira alguns sinais: 

Comentários destrutivos 

É comum que ao longo do tempo tenhamos mais percepção sobre a verdade. Não existe perfeição e está tudo bem. Porém, quando as críticas são feitas de maneira desmedida, com a única intenção de diminuir o outro e deixá-lo triste, frágil e temeroso esse pode ser um sinal de um relacionamento tóxico. 

Medo 

Você fica “pisando em ovos” porque ele/ela pode explodir por qualquer motivo e a qualquer momento? Então algo está errado. Quem está ao nosso lado deve ser alguém que confiamos, respeitamos e que sentimos prazer em estar junto. 

Anulação de si 

As mudanças são inerentes ao nosso existir. Mudar faz parte e nos faz evoluir. Nos relacionamentos não é diferente. Porém quando a mudança é para direção que você não quer, e que você acaba não se reconhecendo como pessoa, é um sinal de alerta.

Luta de poder 

Discussões são normais em qualquer relação, seja ela amorosa ou não. O problema é quando tudo está focado em quem está certo ou errado, quem manda e quem obedece. Para que as coisas estejam bem é necessário equilíbrio e compreensão. 

Dependência

Em um relacionamento tóxico há dependência do outro, ela pode ser financeira, emocional ou física. Quando você dá sinais de que vai cuidar de si, o outro repudia e tenta manter você sob controle.

Ciúmes 

Ciúmes é sinônimo de falta de confiança. Em uma relação saudável você deve ter a liberdade de ser quem você é e confiar na pessoa. Vale lembrar que o ciúme pode atingir proporções elevadas configurando-se uma doença que precisa de tratamento. 

Falta de apoio 

Em um relacionamento tóxico, o outro sempre vai dizer que seus sonhos e metas são inalcançáveis, estúpidos e tentará te fazer desistir.

E agora?

Se você está em um relacionamento que não te traz felicidade, que é difícil a experiência do  encontro, que não sente prazer em manter, certamente o momento pede mudança .

Busque apoio profissional para alcançar uma visão melhor do contexto, o resgate de seu valor pessoal, e principalmente, a oportunidade para construir relacionamentos embasados no amor próprio,  confiança e crescimento mútuo.

E lembrando também que, os abusos podem acontecer em qualquer tipo de relacionamento, seja ele entre pessoas do mesmo sexo ou de sexos diferentes. Mas a realidade sobre os feminicídios merece nossa atenção. 

O Brasil teve um aumento de 7,3% no número de casos de feminicídio em 2019 em comparação com 2018. Foram 1.314 mulheres mortas pelo fato de serem mulheres –média de uma a cada 7 horas, segundo levantamento feito pelo G1 com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal.

Para crimes de violência contra qualquer mulher ligue 180.

Um forte abraço, 

Espaço Entre Olhares (031) 98814-7288

Leia também: Negação: o que evitamos é o grande desafio na busca por realização humana

WhatsApp chat