A autossabotagem é um ato prejudicial que temos conosco mesmo e que na maioria das vezes não nos damos conta. Hoje, nosso Blog trata esse tema. Como minhas escolhas e comportamentos podem me distanciar dos meus objetivos sem que eu perceba? Confira! 

Apesar de muito danosa, a autossabotagem é mais comum do que se pensa. Ela pode se manifestar em áreas específicas da vida, ganhando alta proporção e atingindo diversos aspectos da nossa vida pessoal e profissional, afetando negativamente nossos relacionamentos e nossos projetos. 

Ao longo da nossa vida é comum que nossos objetivos, sonhos e vontades se transformem. Isso acontece de acordo com cada momento que passamos, a maturidade e responsabilidade adquiridas. 

O problema é quando criamos empecilhos para alcançar nossas metas.

Em 1916 Freud redigiu um texto denominado “Os arruinados pelo êxito”. Nele, discute como em algumas áreas da vida é simples alcançar sucesso e em outras, o fracasso se prolonga. Evidencia  o quanto a capacidade de superar e vencer é intolerável. Daí o ciclo da autossabotagem.

Quantas vezes as pessoas adoecem na linha de chegada da tão sonhada vitória. Seja o emprego dos sonhos, o aprimoramento profissional tão esperado, o relacionamento amoroso desejado que surge…

Criamos em nossa mente inconsciente barreiras que nos distanciam do que desejamos. Isso é se auto-sabotar. É um ciclo repetitivo onde apesar de querer algo, termina em fracassos sucessivos.

Queremos algo, planejamos e inconscientemente, fazemos a estratégia para não conseguirmos realizar.

Às vezes o comportamento é tão antigo e intenso na atualidade que nem percebemos sua atuação sobre nossa vida. Apenas sabemos que a superação de algo é adiada indefinidamente por tratar-se da força psíquica inconsciente.

Sintomas da autossabotagem

Já que falamos sobre um mecanismo inconsciente, onde mesmo planejando uma ação, ela  termina em fracasso, o grande desafio é identificar, tomar consciência e reelaborar através do  estabelecimento de metas para superação.

Por tratar-se de um processo de mudança de padrão cotidiano, alterá-los requer um diagnóstico apurado e estratégias de transformação dos mesmos, pelos quais a sabotagem se manifesta. 

Confira alguns sinais de auto sabotagem:

  • Procrastinar: a indecisão constante é um tempo precioso desperdiçado. Focar portanto na proatividade.
  • Fazer coisas que não se percebe preparado: essa atitude reforça o mito da incompetência. “Eu não sou mesmo capaz”.
  • Sentir medo excessivo de falhar ou se frustrar: com isso adia indefinidamente. “É dando o primeiro passo que os próximos se delineiam”.
  • Esquivar-se de perguntar por vergonha de falar em público e medo de expressar-se de maneira ridícula. “Você tem valor singular em qualquer circunstância.”
  • Escolher lutas que você não deveria se colocar. É responsabilidade do outro! Ter o discernimento para que o outro se posicione.
  • Ser excessivamente crítico com você mesmo e os outros. Muitas vezes com explosões emocionais que terminam afastando de você pessoas queridas.
  • Envolver-se com gastos econômicos excessivos e concluir o quanto é mal sucedido.”O fracassado; autopiedade.

O papel da psicoterapia no tratamento

O primeiro passo para quebrar o ciclo de auto sabotagem é reconhecer quando se precisa de auxílio. Parte do processo consiste em ter senso de si, aprendendo a gostar de quem se é. 

Por isso, durante o processo terapêutico busca-se favorecer o  desenvolvimento de uma  comunicação simples e objetiva dos seus propósitos, o que trará maior assertividade e confiança. Enfrentar os conflitos ao invés de ignorá-los fortalecerá o seu valor, ou seja, nem melhor e nem pior que alguém. Saber expressar seus sentimentos, fortalecer a autonomia e decidir que não é possível atender a todas as solicitações o tempo todo.

Conseguir definir os  limites para romper abusos e assim construir o seu espaço individual com gestos de aceitação e afetividade são benefícios da terapia.

Como em tudo na vida, você precisa se conhecer. Esteja atento ao seu comportamento prejudicial recorrente. O autoconhecimento pode transformar a forma como você se coloca e se percebe no mundo. 

Somente quando você for íntimo de si mesmo, você será capaz de identificar o que te motiva, o que te incomoda, o que te causa medo e o que te deixa inseguro, mas, principalmente, identificar quando pensamentos destrutivos são irreais. Essas reflexões geram ações que valorizam sua saúde mental e física. 

Como Albert Bandura, psicólogo canadense nos diz: 

“Confiar em si mesmo não garante o sucesso, mas não fazê-lo garante o fracasso.”

Albert Bandura

Um forte abraço, 

Espaço Entre Olhares (031) 98814-7288

Leia também: Auto-responsabilidade

WhatsApp chat