Essa semana, no dia 2, tivemos o Dia de Finados. Nós lembramos com carinho e saudades daqueles que partiram e deixaram pegadas nas nossas histórias. A data nos traz várias reflexões e, hoje, te convido a pensar sobre como as nossas escolhas decidem destinos e caminhos para a vida e também para a morte. Vamos juntos? 

Em meio a tantas perdas e mudanças encontramos o convite para cuidar melhor dos nossos pensamentos e sentimentos. A que destino minhas decisões estão me levando? Tenho escolhido ir além? Tenho exercitado todas as minhas capacidades? Quanto tenho experimentado da vida? 

Algumas perguntas que precisamos nos fazer rotineiramente. 

É importante que possamos compreender que pensar e repensar decisões não é viver com privações e sim ter inteligência emocional  suficiente para criarmos novas opções e visões do futuro. 

Não nascemos (e poucos desenvolvemos) a capacidade de lidar com frustrações e desconfortos. Ao menor sinal de que algo não dará certo, optamos sempre por desistir, a fim de garantir a nossa preservação. 

O esforço que fazemos com intuito de evitar o sofrimento é, por si só, um sofrimento e tanto. E muitas vezes, em um completo paradoxo, o que tanto tememos e adiamos é inevitável e necessário. 

Precisamos criar o hábito de nos permitir mais. Afinal, viver consiste na arte da experimentação de novas experiências e adequações de propósitos, sempre! 

Busque motivos para ser feliz

Não existe fórmula mágica para a felicidade já que somos únicos, com sentimos e histórias únicas. Buscamos por coisas diferentes e nossas necessidades e sonhos são distintos. 

Minha ideia de felicidade provavelmente não será como a sua. 

Mas uma coisa é certa: independente do seu ideal de felicidade, a alegria faz muito bem para a saúde. Como diz a citação: 

A alegria faz bem à saúde; estar sempre triste é morrer aos poucos. Provérbios 17:31

E como buscar pela alegria e pela felicidade? Como disse antes, não existe fórmula, você precisa se conhecer, definir caminhos e buscar a sua, mas existem algumas dicas que fazem bem a qualquer pessoa: 

  • Procure ficar próximo de quem você se sente bem;
  • Estabeleça laços de confiança;
  • Aceite ajuda;
  • Conecte-se aos seus sentimentos;
  • Pratique o autocuidado e o equilíbrio;
  • Pratique exercícios físicos regularmente e tenha uma alimentação saudável;
  • Faça atividades prazerosas;
  • Compreenda a si próprio e valorize-se;
  • Faça terapia, procure ajuda psicológica. Faça disso uma outra rotina de cuidados na sua vida. 

Além disso, pratique o “ir além”. Saia da rotina e do cotidiano repetitivo. Procure por novas coisas que te trarão novos sentimentos. 

Ouça mais o que vem de dentro. Observe e cuide dos seus pensamentos. Eles geram emoções e por consequência, direcionam suas ações. 

Aprecie as experiências 

Todas as situações que vivemos, principalmente as mais difíceis, exigem renovação de energia e resiliência. Precisamos constantemente redescobrir nossos talentos e os “limites” da nossa força. 

É necessário que tenhamos um novo ponto de vista criativo. Embora desafiador e cansativo a situação estressante pode ser vista como uma oportunidade e não como uma coisa ruim. A abordagem que teremos com o que nos acontece sempre faz a diferença.

Essas experiências que acumulamos ao longo da vida nos fazem crescer e nos ajudam a ampliar o nosso olhar. Mais tarde, com certeza esses novos conhecimentos vindos dessa nova experimentação serão usados de forma construtiva, para melhorar nossa própria vida e a das pessoas ao nosso redor. 

Aqueles que se mantêm firmes em seus hábitos e conhecimentos, morrem lentamente, como lembra um poema de Pablo Neruda:

“Experimente coisas diferentes, troque novamente.

Mude, de novo.

Experimente outra vez.

Você conhecerá coisas melhores e coisas piores,

mas não é isso o que importa.

O mais importante é a mudança,

o movimento, a energia, o entusiasmo.

Só o que está morto não muda!”

Um forte abraço, 

Espaço Entre Olhares (031) 98814-7288

Leia também: Perdão – Faça as pazes com sua humanidade

WhatsApp chat