Você já ouviu falar de FOMO? A FOMO é a sigla da expressão em inglês “fear of missing out”, que em português significa algo como “medo de ficar de fora”, e que se caracteriza por uma necessidade constante de saber o que outras pessoas estão fazendo, associado a sentimentos de ansiedade, que impactam fortemente as atividades de vida diária, e até mesmo a produtividade no trabalho.

Esse é o tema do nosso Blog de hoje. Continue a leitura e entenda melhor sobre a síndrome e o que podemos fazer para evitá-la. 

O termo foi criado em 1996, pelo americano Dan Herman, para descrever aquele medo que dá quando você acha que está perdendo algum acontecimento muito importante. 

E acredite, a FOMO existe e não é de hoje, mas isso ficou muito mais claro com a chegada da pandemia do coronavírus. 

Quantas vezes você se pegou pensando que “só você não está fazendo nada”, “só você não consegue ser 100% produtivo no trabalho online”, “todos estão viajando, só você está em casa”, “todos viram aquela live, só você que não”. Parece que as pessoas sempre estão fazendo algo melhor e que você sempre poderia estar fazendo algo a mais. 

Com esses exemplos parece que a FOMO surgiu há pouco, mas esse tipo de preocupação sempre esteve presente na nossa vida. Todos temos a necessidade de pertencer a um grupo e isso é normal, afinal nascemos para viver em sociedade. 

“A grama do vizinho é mais verde” – essa você com certeza já ouviu, não é mesmo? Isso porque é frequente darmos mais atenção ao que poderíamos ter ou fazer ao invés do que temos e fazemos. E, por vezes,  infelizmente, o mundo digital potencializa esse sentimento.

É comum que a FOMO apareça em casos de isolamento social, como o que vivemos, quando a pessoa tem alguma doença que não permite a saída de casa, ou quando precisa realizar uma grande cirurgia em que seja necessário maior tempo de recuperação.

Nessas situações, como não há contato social direto, a pessoa tem medo de perder o que seus colegas de trabalho ou de escola estão fazendo, o que gera uma ansiedade constante para verificar as redes sociais.

Sintomas

Alguns dos sintomas característicos de pessoas com FOMO são:

1 – Dedicar muito tempo às redes sociais. Atualizar a todo momento o Whatsapp, Facebook, Instagram ou Twitter, para ver o feed notícias com aquela necessidade incontrolável de ser o primeiro a saber de tudo;

2 – Estar em algum lugar preocupado somente em produzir uma boa foto para um post;

3 – Aceitar proposta para todos os eventos, ainda que digitais, por medo de ser o único a não ir, ser excluído ou perder alguma coisa; 

4 – Não largar o celular, mesmo durante as refeições, o trabalho, vendo um filme, na hora do banho e até dirigindo. 

5 – Constante mau humor, irritabilidade e vontade de estar sempre sozinho (apenas da companhia das redes sociais)

6 – Ficar ansioso quando não aparecem novas notificações no telefone. Conferir por várias vezes. 

E o que podemos fazer para evitar a FOMO?

Comece mudando sua relação consigo mesmo. Se cobre menos, nenhuma vida é perfeita. O perfeito existe? Se as coisas não estão exatamente como desejamos é hora de testar, experimentar, mudar e melhorar.  

Viva o momento e valorize tudo, ainda que pareça pequeno. Perceba os detalhes do nosso dia a dia, um café da manhã com a família, um banho quente no final do dia ou o conforto da sua cama. Quando você olha mais para as pequenas coisas, passa a ver a vida de uma forma mais plena. 

Neste mesmo sentido, redescubra os seus prazeres e hobbies. Pintura, música, ler, jogar etc. Escolha algo e foque nisso. 

Mude também sua relação com o outro. Não se compare tanto, somos únicos. Cada um possui suas próprias vivências e potencialidades. Não baseie sua realidade na do próximo, elas nunca serão iguais. 

Tenha uma relação mais saudável com a internet. Não precisamos demonizar a tecnologia, ela é necessária para o trabalho, as conexões à distância e para a diversão. Aprenda a usar com responsabilidade. Não deixe que ela direcione sua vida. Isso inclui, e muito, a diminuição do consumo de redes sociais. Restrinja os horários e tempo.

Para finalizar, quero ressaltar que todos nós estamos vivendo um momento muito complexo com a presença desse “inimigo invisível”. É um novo cenário com o qual não sabemos lidar e que não sabemos quando termina. Diante disso, estar conectado com o outro é fundamental, mas ainda mais importante é estar conectado consigo mesmo. 

Viva seus momentos e tenha atenção a sua saúde física e mental. Se estiver passando por algo complexo que não encontra solução, peça ajuda. Procure um amigo, um familiar ou a ajuda de um profissional. 

Inclusive, em alguns casos, a FOMO pode resultar em casos de ansiedade e até de depressão. Por isso, atenção ao seu comportamento e caso precise, procure por um profissional para obter ajuda. 

Um forte abraço, 

Espaço Entre Olhares (031) 98814-7288Leia também: Sobreviver em tempos onde a mudança está acelerada

WhatsApp chat