É no momento de crise que são despertados em nós sentimentos profundos e muitas dúvidas sobre os limites do sofrimento humano. Uma forma comum de reagir a tudo que a mudança nos apresenta é a negação. Mas o que evitamos é também um  grande desafio na busca por realização humana. Hoje, falo sobre a negação em especial neste tempo de enfrentamento ao coronavírus. Confira!

Vivemos uma fase difícil onde muitas pessoas estão em isolamento social em função do contágio pelo coronavírus, que mesmo sendo tão pequeno, revelou angústias gigantescas que já trazíamos dentro de nós: medo do desconhecido, medo da mudança/perda, culpa, solidão, necessidade de buscar novas maneiras de relacionar consigo e o próximo, entre outros.

O distanciamento das pessoas queridas, a reorganização da forma de trabalhar e a limitação imposta a nossa liberdade são mudanças repentinas que podem ser vivenciadas por nós como experiências de perda que estão associadas a diversos sentimentos profundos.

Sendo assim, esse estágio de mudanças causado pela quarentena pode ter um impacto emocional semelhante aquele de quando perdemos um emprego ou uma pessoa importante.

Em relação à perda, existem estágios de reação que são comumente observados, mas óbvio, não se trata de um protocolo obrigatório e cada pessoa reagirá a seu modo, de acordo com  o seu entorno e principalmente seu mundo interno.

 Importa que historicamente perder sugere prejuízo. Aqui, a perda refere-se também aquela oportunidade de transformar. Um convite a reinventar as formas de entrelaçamento nesta arte de viver. Ir além das aparências, do habitual. Mergulhar no desafio de re-significar as interações familiares, sociais e intrapessoal.

Vivendo a negação

Quando estamos em negação, buscamos reduzir o impacto das notícias desagradáveis em nossa vida. É comum que o assunto ou situações que lembrem o tema que está incomodando sejam evitadas para que não haja uma confrontação direta com a dura realidade do momento vivido.

O estágio da negação torna-se ainda mais evidente quando recebemos de forma abrupta e inesperada uma notícia ruim. Às vezes, percebemos que a reação de negação é muito rápida, pois muitas pessoas já dizem de prontidão frases como: “Isso é um absurdo, é excesso de preocupação”; “Eu não vou mudar a minha vida só por causa disso”; “Não tem como isso acontecer aqui”; “Isso não é sério”.

A forma como a negação é vivida é particular a cada pessoa. Algumas vão ficar bastante tempo paralisadas ou chocadas em função da perda/ mudança.

 Outras pessoas podem ter um funcionamento um pouco mais desconfiado e duvidar daqueles que estão fazendo com que a pessoa se dê conta da realidade. Alguns de nós apresentam reações um pouco mais opositoras, manifestando bastante relutância em enfrentar os fatos. Outros ainda possuem uma reação de esquiva, evitando ter contato com tudo que lembre a situação desagradável.

O coronavírus nos trouxe a oportunidade de rever nossos padrões de sofrimento, já que as medidas preventivas precisam ser iniciadas rapidamente. No contexto atual, permanecer em negação custa a vida de muitas pessoas e pode custar a nossa própria vida caso nossa exposição ao risco seja exagerada.

A falta de prevenção pode afetar todos

O vírus chegou e trouxe com ele lições por onde passa! A prevenção ao coronavírus é uma questão vital para todos nós, pois a maioria de nós ama alguma pessoa que se encontra no grupo de risco para desenvolver complicações graves da doença.

Sendo assim, quando eu escolho cuidar de mim estou escolhendo cuidar de todos. E o contrário é verdadeiro, se sou negligente com minhas escolhas, as repercussões são negativas.

A sombra

A negação está também em nos escondermos. Negarmos o que somos, o que está dentro de nós.

Carl Gustav Jung afirma que a sombra consiste em negar nosso lado obscuro. É aquela parte que rejeitamos em nós. Todos temos. Seria aquele perfil de pessoa que conscientemente, não se quer ser. No entanto, ela sempre atua independente de nossa vontade de alguma forma. E comumente  pode gerar caos e rupturas.

É como trancar alguém no porão da casa e ela ficar todo o tempo gritando na busca por sair, se libertar. Uma luta para esconder, negar uma necessidade não acolhida em tenra infância.

Por isso é tão importante ocupar-se no desvendamento dela ao longo do processo de autoconhecimento. Caso contrário, ela ocupará você de formas que te expõe a riscos nos relacionamentos além de adoecimentos físicos e emocionais.

A partir da psicoterapia, desse grande exercício de transformação, será possível acolher o diferente de mim com graça, leveza e respeitando o que a situação ou pessoa veio me ensinar. Esse recurso torna possível fazer as pazes com nossa humanidade, a singularidade.

A coragem para essa conquista terapêutica, onde é possível extrair ouro de cada dor e trauma vivido, é gratificante. Tal qual acontece agora com o coronavírus e suas exigências de mudanças comportamentais e relacionais.

Disto sou testemunha aqui no consultório: a grande maioria das pessoas escolhe se reinventar diante da dificuldade, rompendo barreiras emocionais que já se encontravam muito cristalizadas.

Pra mim, é uma honra testemunhar as pessoas dizendo:

“Apesar dos transtornos financeiros, das mortes e também de restrições físicas, hoje eu me sinto mais feliz, Jussara. Estou me descobrindo e gostando muito desse novo tempo em minha história de vida!”

“Quando tudo passar, eu continuarei a fazer diferente muitas coisas no meu dia a dia! Principalmente quanto ao ritmo e aceleração cotidianos. É um divisor de águas pra mim no meu jeito de viver e envolver com pessoas”

As perdas/mudanças nos tiram do eixo e, além de buscar conhecimento, precisamos desenvolver o autocuidado para que tenhamos tolerância com o nosso processo de sofrimento, de alteração lenta do agir e pensar e suas repercussões em nossa vida. É tempo de olhar mais para si.

Quero deixar aqui a indicação de um filme sobre o tema: O Efeito Sombra

E lembrando que continuamos juntos. Estou realizando consultas psicológicas online, com o mesmo sigilo e ética necessários.

Um forte abraço!

Espaço Entre Olhares (031) 98814-7288

 

Leia também: Coronavírus: da retirada do que cobria o nosso humano à essência de cada um

WhatsApp chat