Durante o período de quarentena, ocasionado pela pandemia da covid-19, muito se fala sobre ser produtivo em casa. O que tenho observado é que muitas vezes as pessoas apenas migram as agendas lotadas do presencial para o digital. Este é o tema do nosso Blog post de hoje, a compreensão dos limites e o respeito ao ritmo e rotinas. Confira!

Muitos pessoas estão trabalhando, seja na própria empresa, seja no home office. Outras buscam formas variadas de ganhar dinheiro, para arcar com os compromissos financeiros. De um jeito ou de outro, as pessoas se movimentam e buscam produzir.

O foco do nosso Blog de hoje é aquela produtividade que vai além, aquela que pressiona e exige mais do que é saudável.

Em função do isolamento social, da recomendação de ter que ficar em casa, muitos cursos, lives e  livros gratuitos são ofertados pelos meios digitais. Uma avalanche de postagens e informações que precisam ser avaliadas e escolhidas. Não podemos achar que temos a obrigação de ter que acompanhar e assistir a tudo. 

Não é possível ser produtivo e eficiente 100% do tempo.  Períodos de lazer, de convivência familiar, de “ficar de papo pro ar” são essenciais para uma vida saudável e de qualidade. Não precisamos preencher o tempo livre com todos os apelos oferecidos pelo mundo. Não precisamos ser performáticos só porque há uma incitação feita pelas redes sociais e pelos vários meios de comunicação. 

Manter uma rotina de atividades é importante para a saúde física e mental. Trabalhar, resolver situações pessoais e familiares, praticar alguma atividade física costumam fazer parte do dia a dia, mesmo em tempo de isolamento social.  Mesclar prazer e realização em tudo isso torna a vida mais cheia de significados. Mediante demandas sociais e econômicas de produção,   reconhecer que os momentos de nada fazer podem ser de muito aprendizado e enriquecimento pessoal é um desafio.  A autopercepção, o autoconhecimento e a reinvenção são oportunidades que a vida nos oferece, nesse momento. E que são geradores de mudança, que impactarão também no modo de produção de cada um.

A quarentena é uma etapa de reflexões diversas. Dentre elas, o adentrar no desconhecido, e também,  reconhecer que a mudança na rotina nos convoca a aprender em meio a dor das incertezas. E às vezes dá o medo de ousar…inovar!

Há momento para ficar na dor, mas há momento para transformá-la. A dor gera aprendizados. Tudo que se conquista, festeja-se. Agora, é na dor que mais aprende-se a fazer diferente, se reinventar.

Aprecio muito a música Paciência”, do Lenine, essencial para esse tempo atual! 

“A vida é tão rara…

o corpo pede um pouco mais de alma

Eu sei, a vida não pára…

Portanto, é tempo de nutrir a empatia e paciência. Experimente o silêncio, a oração, a meditação e a contemplação da natureza. Esses aspectos nos despertam para uma consciência de integralidade. O que importa agora é cuidar de nós mesmos, para que consigamos perceber os outros com humanidade.

E lembrando que continuamos juntos. Estou realizando consultas psicológicas online, com o mesmo sigilo e ética necessários.

Um forte abraço!

Espaço Entre Olhares (031) 98814-7288

Leia também: Em busca dos novos ciclos de vida

WhatsApp chat